Problema na costura

Como fotografar, quantas fotos fazer, sobreposição, foto nadir, balanço de branco, fotometragem
Avatar do usuário
mauro woiski
Mensagens: 8
Registrado em: 23 Set 2013, 20:34
Localização: São Paulo - SP
Contato:

Problema na costura

Mensagem por mauro woiski » 24 Set 2013, 19:27

Boa noite, como disse na minha apresentação, possuo apenas a lente 17-40mm linha L da canon.
Alguém tem ideia de quantas fotos com ângulo para cima e quantas para baixo , mais Z e N são adequadas para essa lente?
Li na net que o ideal é 6 fotos a cada 45 graus com inclinação a 30 graus, totalizando 18 fotos, mas tem horas que parece que falta pedaços da outra imagem para uma costura perfeita.

Avatar do usuário
cartola
Site Admin
Mensagens: 1218
Registrado em: 11 Mai 2012, 12:40
Localização: Rio de Janeiro
Contato:

Re: Problema na costura

Mensagem por cartola » 24 Set 2013, 20:01

Oi Mauro,

6 fotos a cada 45 graus? Não seriam 8 fotos, uma a cada 45 graus? Pra cobrir a horizontal com 6 deve girar 60 graus.

Enfim, em outra mensagem aqui no fórum trocamos uns links de sites que calculam o campo de visão da lente. O que mais gosto é esse aqui:
http://www.tawbaware.com/maxlyons/calc.htm

mas tem que descer a página um pouco até o "Angular Field of View Calculator". Sabendo que você usa uma fullframe pela sua mensagem de apresentação, botamos 1 como "Focal length multiplier:" que seria o fator de corte. Supondo que vá fotografar com a lente em 17mm, temos um campo de visão vertical de uns 70 graus.

Por que o vertical? Por que normalmente fazemos as fotos com a câmera assim, certo? Se for usar na horizontal tem que usar o outro FOV. Se você girar 45 graus então vai sobrepor 25 graus em cada giro, o que é uns 35% de sobreposição. Normalmente se recomenda por aí, um terço. Acho que pode variar entre 20 e 50% de sobreposição sem problemas. Se girar 60 graus vai sobrepor apenas 10 em 70, o que dá quase 15%. Talvez ainda dê pra fazer, mas em muitas cenas pode não conseguir marcar pontos em comum entre as imagens.

Essa receita que você tem vai atender bem.

Podemos analisar a tentativa de diminuir as fotos, seja passando pra 6 fotos na horizontal, seja fazendo a inclinação pra baixo na primeira horizontal de fotos e depois completando com duas zenith fazendo um X. Em muitos casos pode nem precisar do nadir, depende do que estiver lá. Se for grama, asfalto, areia, cimento ou coisas sem linhas humanas, pode simplesmente tapar o buraco com o material do seu entorno. Imagino que possa fazer, pelo menos em algumas cenas, essas 8 fotos apenas.

Vamos ver... o FOV vertical já é 93 graus. com a câmera inicialmente inclinada um pouco pra baixo, digamos uns 30 graus, vai diminuir o nadir a ponto de conseguir fazer esse complemento nessas situações e alcançar a vertical até 16,5 graus (considerando 0 graus o horizonte). Isso vai deixar um buraco pra cima de 180 - (16,5 x 2) = 180 - 33 = 147. É, não vai dar pra cobrir 147 graus só com duas fotos no zenith...

Tenho aqui um programa pra calcular a coisa toda.

Configurei ele assim:

Camera:
Sensor size 24 x 36 mm
Focal length 17 mm

Panorama:
Top at 90 deg
Bottom at -90 deg
Vertical overlap 20 %
Horizontal overlap 20 %

E ele me deu:

# Linear overlap --> 28.02 % of source pixels
# Angular overlap --> 19.99 %

Number of rows: 2 + zenith + nadir

# Lens vertical angles : 9.32 + 74.6 + 9.32 = 93.2 deg
# Lens horizontal angles : 7.04 + 56.3 + 7.04 = 70.4 deg
# Zenith and Nadir angles: 28.1 + 7.04 = 35.2deg
# Modified phiMax = 61.8 deg
# Modified phiMin = -61.8 deg
# Row to row delta Pitch = 61.8 deg -----------------------> 32 % vertical angular excess (total angle: 268 deg)
#############################

Nadir shoot at -78.5 deg


row 1 of 2, pitch: -30 deg # top overlap at 0 deg, bottom overlap at -62 deg
# based on MIDLE circle, dYaw: 51.42 deg
# large circle at top -----> 17 % overlap
deg # small circle ------------> 50 % overlap
1 yaw: 0
2 yaw: 51
3 yaw: 102
4 yaw: 154
5 yaw: 205
6 yaw: 257
7 yaw: 308

row 2 of 2, pitch: 30 deg # top overlap at 62 deg, bottom overlap at 0 deg
# based on MIDLE circle, dYaw: 51.42 deg
# large circle at bottom --> 17 % overlap
deg # small circle ------------> 50 % overlap
1 yaw: 0
2 yaw: 51
3 yaw: 102
4 yaw: 154
5 yaw: 205
6 yaw: 257
7 yaw: 308

Zenith shoot at 78.5 deg

Total number of images: 16

E pra conseguir essas 16 ele fez 7 fotos no giro, o que dá um ângulo de giro bem esquisito. Nem equipamentos profissionais giram fazendo 7 paradas, só os automáticos, com motores (para o qual foi feito esse programa iclusive), então, pra concluir, sugiro que fique com a sugestão que te deram mesmo, mas agora com a certeza de que é a melhor!

Ou compre outra lente!

Abraços, Cartola.

Avatar do usuário
mauro woiski
Mensagens: 8
Registrado em: 23 Set 2013, 20:34
Localização: São Paulo - SP
Contato:

Re: Problema na costura

Mensagem por mauro woiski » 24 Set 2013, 20:12

Sim sempre faço 8 fotos a cada 45 graus, mas o engraçado é que sempre processo em dois software diferentes para ver qual me dá uma costura melhor, utilizou o Hugin e o Pt GUI. O Hugin sempre tem falha na sobreposição geralmente na foto 16, passei um dia inteiro regulando minha cabeça panorâmica, fiz testes do ponto nodal de todas as formas, essas falhas na costura por uma acaso ocorre em lentes Fisher eye?
Retornando o Ptgui sempre me traz resultados satisfatórios, mas ja teve casos que o Hugin foi melhor....
Bem vamos na tentativas e erros... Obrigado pela resposta Cartola.
Abraços.

Avatar do usuário
cartola
Site Admin
Mensagens: 1218
Registrado em: 11 Mai 2012, 12:40
Localização: Rio de Janeiro
Contato:

Re: Problema na costura

Mensagem por cartola » 24 Set 2013, 20:45

Oi,

pois é, tenho a mesma impressão dos softwares. Uso muito mais o hugin que o PTGui, mas fora o hugin o PTGui é o que já testei mais. Eles usam algorítimos diferentes pra pontos de controle e outras coisas, então deduzo que atendem melhor cenas e situações diferentes, mas nunca consegui chegar a uma opinião objetiva sobre quando usar um é melhor que o outro.

O que percebo é que o PTGui lida melhor com menos memória. Já vi muitos relatos de pane no Hugin com pouca memória. O problema seu na foto 16 pode talvez ser isso até. Qual é o tipo de problema? Na costura ou em achar pontos de controle. Normalmente os paus de memória afetam o encontro de pontos de controle (PCs).

Depois dos PCs encontrados, em geral acho que consigo fazer o hugin costurar bem. Em geral otimizo por partes, uma horizontal por vez depois vou botando a outra. Em geral sigo as otimizações y, p, r - em seguida y, p, r, v e por último Tudo sem translação, e faço isso pra cada grupo que vou acrescentando.

Em algumas situações (poucas) uso outros caminhos, dependendo do que acontece. É legal entender essas otimizações, em situações peculiares resolve-se problemas ali.

Abs, Cartola.

Avatar do usuário
mauro woiski
Mensagens: 8
Registrado em: 23 Set 2013, 20:34
Localização: São Paulo - SP
Contato:

Re: Problema na costura

Mensagem por mauro woiski » 25 Set 2013, 10:03

Bom dia,
é esquisito, pois em locais muito mais complicado ele costura numa boa, e em outras ele fica com aquela emenda como se estivesse cortado na transversal... ai vou procurando pontos mas parece que não vai... Otimizo de tudo que é jeito só que nada acontece. Tem vezes que o hugin cria um panorama todo esquisito, que não é equiretangular, ai jogo no Ptgui é fica ótimo.... é tem vezes que o Ptgui não emenda o zenite e o hugin faz numa boa... Vai entender.

Avatar do usuário
cartola
Site Admin
Mensagens: 1218
Registrado em: 11 Mai 2012, 12:40
Localização: Rio de Janeiro
Contato:

Re: Problema na costura

Mensagem por cartola » 25 Set 2013, 11:07

Pois é Mauro,

o problema é que os programas não são inteligentes e, como mencionei, usam lógicas diferentes pra tentar entender as imagens. As imagens são, no final, representações em duas dimensões de uma cena tridimensional, certo? O que isso vai causar de problema vai ser minimizado se fotografar rodando exatamente no ponto sem erro de parallax, o que já disse que faz. Já fez o teste da fita na janela, ou algo parecido? Acho que ele é o que mais garante a correta representação em 2D da cena 3D.

Dito isso tem o problema da detecção de pontos automática. Se você faz poucas imagens, tipo umas 8, acho bem viável marcar pontos manualmente. Muitas vezes faço isso. Uso uma Canon 8-15mm numa 5D mk III e dá pra usar 7 ou 8 fotos em 15mm (7 quando dispenso o nadir). A marcação de pontos manual pode se ater a 3 pontos entre cada par de imagens, um no meio, um em cima e outro embaixo, o mais afastado possível um do outro. Com pontos assim marcados a otimização tende a dar sempre certo.

Tanto com pontos marcados manualmente como automagicamente eu tenho mais sucesso em geral quando faço inicialmente só a horizontal, sem nadir e zenith. Só depois então acrescento essas imagens.

Pontos automaticamente marcados tem que ser muitos, justamente por conta dos possíveis erros e escolhas ruins. Tendo muitos os errados terão menos peso estatisticamente na hora da otimização. Erros podem acontecer em pontos parecidos, como em partes de areia, parede, grama, onde o programa pode achar que um pedaço de grama é igual a outro da outra imagem, mas não é o mesmo na cena real. O programa já usa estatísticas pra tentar eliminar esse tipo de erro, mas as vezes isso falha. Escolhas ruins acontecem, por exemplo, em objetos em movimento: árvores, plantas, céu, pessoas, etc. Isso tudo vai fazer a otimização ter mais chance de erro.

Bom, essa sugestão de pontos manuais talvez seja mais fácil testar no hugin, pois prefiro definir pontos nele do que no PTGui. No PTGui vai poder selecionar pequenas regiões entre pares de imagens e ele vai achar vários pontos ali automagicamente. Diminui a chance de erro, mas ainda não é um ponto preciso definido por você. No hugin eu faço assim:

Na aba Pontos de Controle:
  • desativo "auto refinamento", "auto adicionar" e "auto estimar"
  • coloco um par de imagens no painel, uma na esquerda e a outra na direita
  • clico num ponto numa delas e ele dá um zoom na imagem
  • clico no ponto correspondente na outra imagem e ele dá o zoom sem marcar o ponto
  • clico novamente no ponto exato e ajusto a posição nas duas imagens (não precisa ser preciso)
  • clico em refinamento (tem um bug que as vezes deixa esse botão desativado - basta usar a tecla "f" no teclado)
  • clico no botão Adicionar (ou tecla "a" no teclado)
Marco 3 pontos e depois navego direto pro próximo par adjacente pelas setinhas pra direita ou esquerda que ficam no topo entre as imagens e repito.

Tem alguns ajustes que talvez ajudem no hugin (versão 2012.0.0) tanto na criação automática quando no refinamento no modo manual:
  • Abra as preferências a partir do menu Arquivo / Preferências
  • Pra lentes olho de peixe vá na aba "Editor de Pontos de Controle" e ative "Ativar procura de rotação"
  • No mesmo lugar coloque o ângulo de início como -180, ângulo de parada como 180 e passos 30 (ou mais)
  • Pra evitar problemas de falta de memória, que vai causar a parada do processo automático e encontro de pontos apenas de algumas imagens vá na aba "Detectores de Pontos de Controle"
  • O "Hugin's CPFind" é o que deve estar marcado. Clique no botão Editar.
  • Em "Argumentos" acrescente "-n 1", deixando, por exemplo, assim "--multirow -n 1 -o %o %s". Isso vai limitar o uso de apenas um processador. Pode demorar mais, mas é mais seguro.
  • Pra aumentar o uso de memória na montagem vá na aba "Programas" e dentro do "Enblend" no campo "Argumentos Padrão" coloque "-m XXXX" onde XXXX é o tanto de megabytes de memória que o programa poderá usar antes de começar a usar o disco. Por exemplo, se tiver um computador com 8GB de memória pode botar ali "-m 7000".
  • Ainda na aba "Programas", nas opções do "Nona" desmarque "Criar imagens recordadas por padrão". Isso vai facilitar muito se quiser trabalhar com camadas pra corrigir os erros.
Bom, por enquanto é só pessoal :)

Abs, Cartola!

Responder